PorQue? Uncategorized

Por que ler… Salto e Silas?

Olá! Feliz ano novo para nós ❤ como vocês estão? Passaram bem esse final de ano? Espero que sim 🙂 Esse ano, eu espero passar mais tempo com vocês, publicar mais coisas e tentar novos temas! (O que você gostaria de ver por aqui? Manda a sua sugestão aqui nos comentários!) Nada melhor do que uma collab para começar o ano, não é mesmo? Por isso, o primeiro texto do ano de 2020 é um texto de “Por quê?” com 2 HQs super incríveis do Rapha Pinheiro (que além de HQs também tem um canal no YouTube).

Ps: A foto de capa desse texto é dos itens que o Rapha mandou pra mim! Os dois quadrinhos, Salto e Silas, e dois marca páginas do novo projeto dele e um print do Silas e do Nü 🙂

O universo dos quadrinhos

Mesmo que você não seja fã de super heróis, já deve ter visto um quadrinho (no mínimo A turma da Mônica vai!). Os mais comuns e famosos são os quadrinhos sobre super-heróis, mas existem ótimos quadrinhos que não abordam seres com super poderes; Silas e Salto são ótimos exemplos disso! O Rapha é extremamente detalhista e se você acompanha ele, sabe que ele pensa em cada detalhe da história, lugares, personagens… TUDO! Para mim, que estou fazendo a graduação em Letras, os quadrinhos dele são muito bem arquitetados (se você pegou a piada, pegou hahaha se eu explicar perde a graça). Existe uma coerência narrativa e muitos, MUITOS, elementos metanarrativos (elementos que falam sobre a própria obra).

A vantagem que os quadrinhos têm em relação aos livros é que eles são ilustrados, ou seja, em cada quadro, o autor pode mostrar um ângulo específico do cenário, focar em um elemento importante pra narrativa… Um bom quadrinista escolhe propositalmente (assim como um bom escritor escolhe as palavras) o que vai preencher os quadros, a ordem que eles são organizados e as formatos que eles terão. Ao me deliciar com as obras do Rapha, pude ver como cada detalhe é essencial e se conecta com a história.

Um gostinho de como o Rapha consegue organizar os quadros de forma tão inteligente e coerente.

Salto

Tanto Salto, quanto Silas, são histórias steampunks (de forma simples, steampunk é um gênero de ficção científica sobre um mundo com muitas tecnologias a vapor). Na verdade, os dois quadrinhos contam a mesma história, só que por um ângulo próprio (é um pouco mais complexo do que isso, mas é a melhor forma de explicar sem dar spoilers hehehe). Como o objetivo deste quadro não é dar uma sinopse sobre as obras, mas sim dizer porque elas são tão boas, vou falar só o essencial sobre a história e o mundo em que a história se desenvolve.

A história conta sobre um homem de fogo chamado Nü, que vive com o seu povo (também de fogo) dentro de uma caverna. Eles vivem escondidos na caverna por medo da chuva e respiram graças ao Barão e a sua fábrica de ar (pra entender melhor, você precisa ler o quadrinho hahahah).

O que me encantou em Salto, foi a maneira como ele conseguiu me “segurar”. Desde o início, até o fim, eu me entreti com o enredo e me conectei com os personagens. A forma como fui conduzida a sentir uma determinada emoção, a ter determinada reação é realmente de se admirar.

Como eu disse antes, os elementos metanarrativos estão muito presentes e o que mais me chamou a atenção foram os relógios. No centro da cidade há uma torre de relógio onde um dos eventos mais importantes da história acontece; e eu encontrei relógios em praticamente todas as páginas. Achei sensacional!

Algo interessante, e que eu não posso deixar de lado, é a mensagem que Salto carrega. Quando você termina a história, é muito difícil não perceber a “lição” que Saltos quer nos mostrar. É quase como um ensaio sobre a nossa sociedade moderna. Mas infelizmente eu não posso contar na íntegra aqui, claro, se não estragaria a sua experiência.

Silas

Silas foi lançado depois, mas não significa que seja uma continuação. Como eu já falei, ele é como uma nova perspectiva sobre a mesma história. Silas é o nome do personagem principal e tem uma peculiaridade: ele veste uma roupa especial que o mantém vivo (quando você ler a história, vai entender hahaha). Por causa desta roupa, Silas não pode falar e nós não podemos ver o seu rosto. E este fator torna o quadrinho muito interessante.

Por não poder fazer o Silas falar nem mostrar as suas expressões facial, Rapha buscou outras maneiras de criar no público a empatia por este personagem tão complexo. Neste quadrinho, a organização e com propósito dos quadros é extremamente importante, pois é dessa forma que Silas “se expressa”.

Em Silas eu não encontrei tantos elementos metanarrativos (pode ter sido falha minha também). Eu acredito que seja porque a forma como a história precisava ser contada (sem falas nem expressões faciais do personagem principal) precisava de um foco maior em expressar o Silas interior. Também pode ser porque Silas trata mais da questão do indivíduo com ele mesmo do que com o seu meio social (que é o caso de Salto), mas eu não posso afirmar nada porque não sou a autora hahaha.

Assim como Salto, Silas também carrega uma mensagem, mas ela é mais interna (sobre o indivíduo e a relação dele com ele mesmo) do que externa (a relação do indivíduo com o seu meio social). O que me impressionou em Silas foi a forma como o autor conseguiu, com maestria, criar uma empatia com um personagem que não pode se expressar tanto e que seja tão “malvado”. Com certeza, esta narrativa só foi bem sucedida porque foi escrita por um ótimo contador de histórias.

Conclusão

Eu quero encerrar este texto com a frase que o Rapha termina Silas.

“Você nunca desenha um objeto, mas um objeto sendo observado.”

Rapha Pinheiro, última página de Silas

Esta pequena afirmação condensa em si o que Rapha Pinheiro é como quadrinista. Ele é incrível no que faz porque valoriza cada detalhe e maneja-os com inteligência e propósito.

Espero que você tenha gostado desse texto ^^ Você já leu esses quadrinhos? O que você achou? Vamos conversar!

Em admiração, Dory ❤

Sobre Dory <3

Oi! Eu sou a Dory :) eu amo escrever e por isso criei um blog há uns anos atrás. Um resumo: sou cristã, estudante de Letras, pseudo piadista e humana

0 comentário em “Por que ler… Salto e Silas?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: