Oi oi pessoal! Como vocês estão? O texto dessa vez demorou bastantão >< me perdoem por isso! Mas graças a isso, hoje nós teremos um tema um pouco mais diferente 🙂 Acredito que nunca disso aqui no blog, mas um dos meus sonhos era aprender a fazer tradução oral, tanto a simultânea quanto a alternada. E Deus tem sido muito bom para comigo e tem me proporcionado um ano em que eu posso estar aprendendo e praticando essa arte chamada tradução

A percepção

Você pode estar se perguntando: “Por que eu gosto tanto de tradução?”. Pois bem, tudo começa na minha infância (Freudianos piram hahaha), eu nasci no Brasil mas aos 6 anos fui para o Japão com meus pais por causa da crise econômica (talvez você tenha algum conhecimento sobre a migração dekassegui). Mesmo sendo neta de japoneses, viver num país distinto do que você nasceu. Eu e minha família passamos por diversas situações, desde as mais engraçadas até as mais complicadas. Depois de 4 anos, retornei ao Brasil, e depois de alguns anos percebi o quanto ter um tradutor ao nosso lado no Japão foi crucial.

A construção

Uma das analogias que eu mais gosto pra exemplificar a função do tradutor é “criador de laços“. Pode parecer um pouco estranho a primeira vista, mas confie em mim, vai fazer sentido hahaha. Imagine a seguinte situação: “duas pessoas que não falam o mesmo idioma estão tentando se comunicar. Eles precisam construir um prédio, mas não se entendem. Frustrados os dois se sentam no chão sem esperança alguma. Então, uma terceira pessoa aparece, e ela é falante desses dois idiomas, e logo começa a traduzir as falas das duas pessoas”. Construir um prédio pode ser algo concreto e com relação direta, mas também pode ser uma metáfora para “construir um relacionamento, não necessariamente um relacionamento amoroso, mas um relacionamento interpessoal. Eu realmente acredito que o tradutor pode ser esse facilitador, uma ferramenta importante para a criação de laços que aparentemente são inviáveis.

20190616_155949-effects

O processo

Assim como eu disse anteriormente, eu tinha o sonho de poder aprender e ser uma tradutora. E como um passe de “mágica” (todos sabemos que pela graça divina) um pastor acabou me observar traduzir uma conversa entre um japonês e brasileiros, e antes mesmo dessa conversa se findar ele me lançou um convite: “você não quer aprender a traduzir?”. Essa pergunta também é resultado de um processo a qual a igreja dele estava passando, que era de buscar uma segunda pessoa para auxiliar na tradução e permitir o que único tradutor até o momento pudesse ter um descanso. Dessa forma, tão simples e espontânea, minha jornada de aprendizado começou!

 

O amor ❤

Comecei a frequentar alguns cultos, sentando ao lado do tradutor na cabine de tradução simultânea, traduzindo alguns momentos, e por fim hoje, traduzi pela primeira vez alternadamente. Quando me disseram que queriam que eu fizesse a tradução simultânea eu fiquei extremamente preocupada, mas vendo o quanto aquelas pessoas estavam investindo em mim e o quanto elas torciam por mim, aceitei 🙂 Acordei hoje com o coração tranquilo em Deus mas que em alguns momentos vacilava e deixava o medo tomar conta. Participei da Escola Dominical dos japoneses pra poder ir me acostumando a pensar em japonês e finalmente chegou o momento de subir ao púlpito ao lado do pastor. Meu coração estava disparado, mas alegre por ter aquele privilégio e oportunidade! O começo foi um pouco difícil, mas aos poucos fui pegando o jeito e quando tudo acabou tive a certeza que fui feita para aquilo ❤ Eu sabia que ainda haviam pontos em que eu deveria estudar mais, treinar mais e etc. Mas enquanto eu descia os degraus do palco, tive a sensação de estar fazendo exatamente aquilo que Ele queria. Ao final do culto, o pastor responsável por aquela igreja (e também pelo início da minha jornada) me carregou junto com os pastores para ficar na porta e cumprimentar os membros que saíam do salão. E que experiência! A cada irmão que passava por ali eu recebia um abraço, um sorriso de gratidão, um conselho, um puxão de orelha para algumas coisas que falhei e principalmente muito amor. Assim como eu já disse várias vezes, eu sou uma pessoa que não consegue lidar tanto com críticas negativas, mesmo que elas sejam construtivas… MAS no dia de hoje, a única coisa que eu senti foi amor! Eu conseguia ver e sentir o quanto cada uma daquelas pessoas me amavam e queriam que eu crescesse e me desenvolvesse como tradutora e por isso me diziam o que diziam. Foi uma das poucas vezes em que eu verdadeiramente me senti amada ao receber uma crítica.

Por todas estas coisas que tenho vivido, eu escrevo esse texto como uma oferta de gratidão ao Deus que nunca desistiu de mim e mesmo nas minhas fraquezas e falhas consegue fazer coisas incríveis!

Extremamente grata, Dory ❤

Anúncios

Sobre Dory <3

Eu me denomino como Dory, uma pequena menina que é super mega atrapalhada e se distrai facilmente. MAS que o coração anseia por fazer amigos e o que é certo (ou pelo menos tentar). Sou cristã, estudante de Letras, pseudo piadista e humana.

0 comentário em “Tradução, um amor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: